4Arlequina pode ainda ser uma novata na DC Comics, mas ela já passou por algumas mudanças de estilo e personalidade significativas desde sua estreia. O que os espectadores viram da personagem retratada por Margot Robbie em Esquadrão Suicida foi apenas uma pequena parte da sua história. Aqui está uma repaginada dos momentos mais significativos na evolução da dra Harleen Quinzel.

 Batman: A Série Animadaarlequina-serie-animada

 

Arlequina estreou como a amante e mão direita do Coringa em Batman: A Série Animada em 1992. A personagem foi inspirada por uma cena de Days of Our Lives com a atriz Arleen Sorkin vestida de arlequina tentando agradar uma realeza entediada [https://www.youtube.com/watch?v=n5L8A0QXtcw]. O produtor Paul Dini foi colega de faculdade da atriz e, quando viu a cena, ele imaginou uma capanga durona, uma mercenária urbana e, de repente a ideia de algo engraçado o surpreendeu. Ele recrutou a própria Sorkin pra dublar a personagem, que ajudou a definir o tom de diversão selvagem da vilã.

A série também foi a primeira a explorar a sua história como Dr. Harleen Quinzel, psiquiatra do Coringa no Asilo Arkham. Depois de algumas sessões de terapia, ela se apaixonou e libertou o louco maníaco, adotando uma nova e nefasta identidade como a Arlequina. Ela também forjou uma amizade com a vilã Hera Venenosa ao longo do caminho. Seu collant xadrez vermelho e preto e seus guizos faziam um paralelo à sua imagem na série como uma personagem que não precisava de apelo sexual pra ser ameaçadora e influente.

Começo nos Quadrinhos1

Após o grande sucesso do desenho animado, Arlequina fez sua estreia nos quadrinhos em Batman Adventures #12, onde ela começou a ganhar suas atualizações mais importantes. As primeiras diferenças foram sutis, incluindo a adição de pompons coloridos nas pontas de seu chapéu e um decote um pouco mais exposto. Logo depois, porém, conforme os detalhes de sua sedução fatal pelo seu pudinzinho foram se tornando um ponto focal da personagem – particularmente no premiado quadrinho de 1994, Louco Amor -, ela começou a mostrar um pouco mais de curvas e muito mais sensualidade.

Em dezembro de 2000, sua própria série de quadrinhos Harley Quinn foi lançada e, ao longo das suas 38 edições, seus envolvimentos românticos com o Coringa se romperam – a favor de um relacionamento com a Hera Venenosa. A nova série deu-lhe uma aparência menos caricatural, com corpete mais justo e características faciais mais mais definidas, mas ainda mantendo seu traje clássico por mais quatro anos.

Batman: Arkham Asylum2

O sex appeal da Arlequina realmente começou a brilhar quando ela apareceu no game de 2009, Batman: Arkham Asylum. Na verdade, ela estava praticamente irreconhecível em sua fantasia picante. Sua história ainda era a mesma que os fãs conhecem e amam, com certeza, mas seu visual era acentuadamente diferente: ela usava tranças louras, um corpete, minissaia e botas de coxa-alta, e decididamente não era tão alegre quanto antes. Paul Dini, que havia criado a personagem e escreveu o jogo, defendeu as mudanças controversas, dizendo: “Eu queria deixar claro que a Arlequina estava fora de sua mente.”

Esta nova Arlequina também apareceu nas sequências do jogo, Arkham City, Arkham Origins e Arkham Knight, sempre mexendo um pouco nas temáticas icônicas da personagem. Em City, ela recuperou seu traje vermelho e preto, mas num visual dominatrix e com as pontas das tranças tingidas pela primeira vez.

Os Novos 523

Quando a DC deu reboot no Esquadrão Suicida como parte da série Novos 52, as coisas realmente começaram a mudar. Arlequina teve uma grande reformulação de estilo, introduzindo suas tranças vermelhas e azuis, shorts curtos e saltos altos na nova série. Em Esquadrão Suicida #7, lançado em 2012, a série também renovou sua história de origem ao incluir a cena do tanque químico vista depois na versão cinematográfica. No ano seguinte, sua nova série independente Harley Quinn foi lançada e inaugurou seu estilo azul e rosa. Além disso, embora as cores de seu traje e cabelo tenham se desviado do clássico preto e vermelho, sua barriga, pernas e decotes ainda estavam em plena exibição.

Esquadrão Suicida4

O Esquadrão Suicida de David Ayer trouxe todo o charme da Arlequina pras telonas. Margot Robbie não foi a primeira atriz da personagem, ela também apareceu no seriado de curta duração Birds of Prey, retratada por Mia Sara, mas o filme deste ano trouxe sua primeira aparição cinematográfica.

No filme, Arlequina também usa tranças parcialmente tingidas de azul e rosa, shorts minúsculos, blusa esfarrapada, jaqueta colegial, uma tonelada de tatuagens e botas. Enquanto o filme prestou homenagem à estética de algumas das versões anteriores da personagem, especialmente dos Novos 52 e da série de jogos Arkham, o novo visual também teve a sua própria originalidade. Bruce Timm, que ajudou a dar vida à Arlequina na série original, disse que esta nova abordagem foi “interessante” e que ele “achou que ela parecia muito legal”. Dini, por sua vez, pensou que a abordagem “monstra do papai” foi uma boa maneira de fazê-la funcionar. “Eu sei que é chocante pra um monte de pessoas que amam o visual clássico do Bruce Timm”, disse ele. “Eu mesmo amei. Mas, naquele mundo, eu simplesmente não consigo ver isso acontecendo. Ela está mais áspera, mais urbana. Eu acho que funciona muito bem.”

As mudanças já foram incorporadas aos quadrinhos canônicos da Arlequina como parte da iniciativa DC Renascimento, lançada em 2016. Nesta nova geração, a Arlequina tem maquiagem, roupa e penteado muito mais urbanizados.

1% é Redator desse site, mas aqueles 99% é Vagabundo! :v