Cada detalhe de um grande filme é cuidadosamente planejado há anos por uma equipe de centenas de profissionais qualificados. A iluminação tem que ser precisa, os ângulos de câmera equilibrados e as falas memorizadas. Mas às vezes a mágica acontece de forma espontânea em cenas improvisadas e uma ideia de último minuto é tão inteligente e funciona tão bem dentro da estrutura do filme, que acaba definindo a produção.

Estes momentos são muitas vezes algumas das partes mais memoráveis de um enredo e aqui estão alguns dos melhores. Veja algumas das melhores cenas improvisadas do cinema:

O Silêncio dos Inocentes1

Uma cena terrível em um filme aterrorizante. Hannibal Lecter – Anthony Hopkins – diz friamente e sem rodeios a Clarice Starling – Jodie Foster – que matou e comeu parte de uma vítima. Ele realmente não precisa fazer nada comprovadamente monstruoso e o script já bastava. Mas Hopkins queria realmente assustar Foster – e o público – e criou seu pequeno chiado de cobra.

Os Caçadores da Arca Perdida2

Apesar de ter ensaiado a coreografia durante semanas, Harrison Ford não queria filmar uma cena de espada versus chicote. Visivelmente suando e aparecendo desconfortável na cena, Ford não estava interpretando, ele estava sofrendo de intoxicação alimentar e simplesmente não poderia continuar com o que tinha planejado sem vomitar – ou pior. Ele deu uma ideia ao Steven Spielberg, que se tornou um dos momentos mais famosos da série Indiana Jones: após o espadachim mostrar sua habilidade, Indy apenas atirou nele. Fim da luta. Fim da cena. Uma das melhores cenas improvisadas da história.

Gênio Indomável3

Enquanto o personagem de Robin Williams conta uma história sobre sua falecida esposa acordando com os próprios peidos noturnos, Matt Damon não conseguia parar de rir. As gargalhadas são genuínas porque Williams, um improvisador dotado, improvisou toda a história, inclusive os sons de peido e, em seguida, a parte triste sobre como momentos íntimos como aqueles são o que definem um casamento feliz.

Débi & Loide: Dois Idiotas em Apuros4

O script dizia que Harry e Lloyd deveriam irritar sua vítima discutindo sobre jujubas. O comicamente ágil Jim Carrey e o teatralmente treinado Jeff Daniels acharam essa essa ideia fraca, então eles tentaram várias ideias e, eventualmente, decidiram sobre “o som mais irritante do mundo”.

Dr. Fantástico

Peter Sellers, um gênio cômico em qualquer sentido da palavra, interpretou três papéis nesta comédia apocalíptica de 1967 – incluindo o personagem-título, um especialista em armas nucleares que abandona sua lealdade aos nazistas. Sellers ficou tão acostumado a fugir do script que até o final do filme, ele se levantou pra discursar… Esquecendo completamente que seu personagem era cadeirante. Ele cobriu seu erro muito bem.

O Poderoso Chefão6

A cena era para ser brutal, mas simples: o mafioso de alto escalão Peter Clemenza – Richard Castellano – está indo matar um cara quando sua esposa lhe pede para pegar alguns cannoli. Conforme o script, Clemenza e seu capanga iriam matar o cara e Clemenza diria “solte a arma”. Mas quando Castellano filmou a cena, ele se lembrou da outra coisa que seu personagem iria fazer. Depois do golpe, ele brincou: “solte a arma, pegue o cannoli”, instruindo o capanga a pegar a caixa de cannoli dentro do carro do homem assassinado.

Zoolander7

Improvisos verdadeiramente bons funcionam quando são tão dentro do personagem e alinhados aos temas do filme, que é difícil acreditar que foram compostos no momento. Isso aconteceu quando o muito estúpido Derek Zoolander parece ainda mais burros quando, depois de receber uma longa explicação sobre a forma como os modelos masculinos se encaixam num plano pra assassinar líderes mundiais, pergunta: “Mas por que os modelos masculinos?” Stiller inventou essa fala na hora. E David Duchovny inventou uma resposta a altura.

Uma Linda Mulher8

Richard Gere inadvertidamente injetou um pouco de alegria – e romance – pro que era pra ser um momento triste em Uma Linda Mulher. Seu personagem, Edward, está presenteando Vivian – Julia Roberts – com um colar. Durante as filmagens, Gere decidiu brincar com sua co-estrela e rapidamente fechou a caixa nas mãos de Roberts. Ela foi pega de surpresa e seu riso e surpresa foram tão genuínos – e charmosos – que a cena ficou no filme.

Os Selvagens da Noite9

Como o nêmese d’Os Selvagens da Noite, Luther, o ator David Patrick Kelly deveria apenas bater ameaçadoramente num grupo de garrafas. A provocação infantil não estava no roteiro, mas o drama pro confronto final foi tão perfeitamente construído que o diretor Walter Hill adorou o improviso. Hoje, está é, de longe, a mais fala famosa do filme cult de 1979.

Aliens10

Depois de um ataque maciço dos xenomorphs matar um monte de seres humanos, as coisas parecem bastante sombrias. O diálogo seria “É isso. O que vamos fazer agora?”, mas Paxton respondeu “game over” só porque sentiu a vibração de seu personagem tagarela e excêntrico.

1% é Redator desse site, mas aqueles 99% é Vagabundo! :v