Nos últimos anos, as super heroínas começaram a ter mais destaque junto as editoras. Embora já tenham aparecido muito no passado, a maioria delas foram introduzidos como companheiras, membros de um conjunto, e personagens, mesmo secundários para os seus heróis masculinos.

Não só existem mais mulheres fãs de quadrinhos procurando algo que possam se inspirar, que possam se ver, mas elas também começaram a perguntar por que quase não havia mulheres por trás das cenas.

Tudo começou em um painel da DC, na San Diego Comic-Con, em 2011, quando uma Batgirl levantou-se na frente de Dan DiDio (co-editor da DC ), Jim Lee (TCO-editor da DC), e Grant Morrison (escritor) e simplesmente perguntou por que não haviam mulheres no painel.

Depois de cobranças do público, as duas maiores editoras, começaram a investir mais em heroínas femininas, diversificando sua gama de quadrinhos.

A Marvel por exemplo, nos trouxe uma Thor mulher (Jane Foster), uma Wolverine mulher (X-23), e criou personagens novos como uma nova Miss Marvel adolescente e mais uma adolescente negra, que terá o título de IronHeart. Também investiram na TV, com a série Jéssica Jones, e no vindouro filme solo da Capitã Marvel. Também está trabalhando num grupo feminino nas HQ’s intitulado “As Destemidas Defensoras”.

Enquanto isso, a DC, resolveu investir nas diversas personagens já existentes na sua gama e dar um maior destaque as mesmas. Vários títulos solo recente de personagens femininas dominam o top de vendas da  editora. Um exemplo, é o título Harley Quinn, que foi o mais vendido por dois meses seguidos, e também temos Mulher Maravilha, Batgirl, Supergirl, Superwoman, Batgirl e as Aves de Rapina, dentre outros. A DC também vem investindo suas mulheres em outras mídias, como podemos ver a série de grande sucesso Supergirl, o vindouro filme da Mulher Maravilha, Harley Quinn como personagem principal no filme Esquadrão Suicida e a animação DC Super Hero Girls, que apresenta heroínas e vilãs no colegial, a fim de dar ao público feminino infantil, algo para se inspirar e se familiarizar com o universo de herois desde pequenas.

As mulheres amam quadrinhos e também querem ver-se representada em livros, televisão e cinema como personagens mais profundos, para que possam se inspirar, se espelhar e se identificar.

Uma menina ou uma jovem pode agora assistir Supergirl na TV e pensar, “Hey … Kara Danvers é igual a mim, ela pensa como eu“, o que significa que a nova era de super-heróis do sexo feminino está se movendo a todo vapor. Estamos começando a ver os livros liderado por mulheres, filmes, programas de televisão e mais mulheres nos bastidores, criação de conteúdo e etc.

Agora vamos conhecer um pouco mais as personagens femininas inseridas recentemente e que vem ganhando destaque no mundo dos herois.

 A-Force

A-Force estreou maio 2015 como parte do Secret Wars. Criado por escritores G. Willow Wilson e Marguerite Bennett, a série em curso apresenta primeiro time da Marvel só de mulheres dos Vingadores, incluindo She-Hulk, Capitã Marvel, dentre outras. O esquadrão das mulheres apareceu pela primeira vez em Battlelands (um univere alternativo), mas acabou se tornando uma parte principal da continuidade principal da Marvel em 2016, liderado por Singularity. escritor atual Kelly Thompson comentou:

“É uma história em quadrinhos sobre super-heroinas que salvam o dia, pura e simples, e eu quero aproximar a escrita delas como nunca escrevi ninguém. Estas senhoras são heróis como qualquer um de seus colegas do sexo masculino”.

o-aforce-facebook

Ms. Marvel

Não só é Ms. Marvel (Kamala Khan) um adolescente de 16 anos de Nova Jersey lutando com a vida cotidiana (ao tentar controlar seus superpoderes), ela também é muçulmana – um dos primeiros da Marvel. Ela assumiu o manto super-heroína em 2014 e atualmente estrela em sua própria série premiada, também escrito por G. Willow Wilson. Recentemente Joe Quesada deu a entender que possivelmente, num futuro próximo poderemos ter programa de TV Ms. Marvel ou mesmo filme.

kamala-khan-01

Coração de ferro

IronHeart, Riri Williams foi recentemente anunciada como quem vai assumir o manto do Homem de Ferro. Riri é um gênio afroamericana de 15 anos, que construiu uma armadura robótica a partir de sucatas, impressionando Tony Stark. Riri Williams será conhecida como Ironheart e fará sua estreia oficial em Invincible Iron Man # 1 . O criador Brian Michael Bendis comentou recentemente:

Ironheart, que foi sugestão de Joe Quesada, será fantástica. O que estou planejado para Riri, não é só para a alma do personagem, mas para a franquia Homem de Ferro como um todo. A primeira vez que Tony vestiu a armadura foi para salvar seu coração. Riri vai a colocar por razões diferentes, mas ainda relacionadas ao coração. Quando as pessoas vêem a sua história, você vai se surpreender com o quão simples e brilhante sugestão que Joe teve.

neexogcrnyyojh_2_b

X-23 – Wolverine

Embora a mutante X-23 tenha passado grande tempo nos X-men e na X-Force, recentemente assumiu o manto de Wolverine, que sempre foi usado por homens. X-23 (Laura Kinney) começou como um clone, considerada filha de Wolverine, com a maioria de suas habilidades. Ela está agora estrelando sua própria série All-New Wolverine, que estreou em 2015.

Do comicbook, a própria Matthew Mueller recentemente nos deu 5 razões para amar All-New Wolverine:

“Suas qualificações foram bem estabelecida em seu tempo com os X-Men e mais tarde X-Force, e até mesmo de volta, então ela provou que ela é mais do que capaz de suportar tudo o que vem com o título de Wolverine.”

all_new_wolverine_1

 Supergirl

Embora Supergirl finalmente saiu das sombras no reboot dos Novos 52, ela foi recentemente reiniciada como uma das personagens centrais da nova fase da editora, o Renascimento, na esperança de reviver a super-heroína clássica, que parece estar funcionando maravilhosamente até agora. O escritor Steve Orlando comentou recentemente:

Nós gostamos de brincar com os quadrinhos. Eu acho que é um truque de mágica interessante que o show tem feito porque fica tudo certo, você entende Supergirl. Você verá National City, você verá Cat Grant, você verá a Danvers, que é o que estávamos procurando, (…) você vai entender o que Supergirl significa: a esperança, a positividade, a nunca desistir “.

gallerycomics_1920x1080_20160817_sgreb_cv1_57990d3d2e12a7-35335695
Batgirl & Aves de Rapina

Esquecidas por algum tempo, tendo seu auge nos anos 90/2000, a DC Rebirth está trazendo Batgirl, Caçadora e Canário Negro de volta ao básico com as escritoras Julie e Shawna Benson.

Comentários do editor do comicbook Matthew Mueller :

É uma coisa interessante este grupo. Elas foram algumas das mais afetados pelo relançamento anterior da DC (os novos 52), e agora sem essa confusão, essa reconfiguração da equipe, nos faz voltar a familiarizar com elas. São as novas texturas sobre essas heroínas conhecidas que fazem com que valha a pena ler sobre elas de novo (…) Julie e Shawna Benson ter uma compreensão fantástica sobre essas personagens, e enquanto elas trabalham com alguns aspectos familiares, elas definitivamente não faram das Aves de Rapina uma equipe de apoio.”

batgirl-and-the-birds-of-prey-rebirth-1-variant

Claro, há muitas outras heroínas que estão começando a mostrar-se na linha da frente de dos quadrinhos da Marvel e DC, como She-Hulk, Jane Foster como Thor, Estelar e muito mais.

O ponto é, que as super heroínas estão ganhando mais espaço e estão sendo mais aceitas nos holofotes da empresa, muitas estão se tornando uma das maiores fontes de arrecadação. O que felizmente, significa que estaremos cada vez mais tendo material de personagens femininas e que serão cada vez melhor trabalhadas, agradando mais a comunidade em geral e servindo cada vez mais de inspiração para as pessoas que as acompanham.

 

FonteComicBook
21 anos, acadêmica em Direito, técnica agrícola. Geek de coração, fanática em Mulher Maravilha, Elektra e Batgirl, gamer (psn: batg1rl__052) e insana.