Se você não entrou numa máquina do tempo e chegou em 2016 ontem, já deve ter percebido o tamanho da febre que são os auto-proclamados “Youtubers”, apesar desse ser um termo mais simples para “Criador de Conteúdo do Youtube”.

Não é de hoje que essas pessoas, na maioria jovens, que fazem conteúdo dentro de seus quartos saem de seus cubículos virtuais para encarar um público muito maior. Quem lembra de quando o Monark jogou Minecraft ao vivo para o Brasil inteiro no programa da Fátima Bernardes ?

Esse dia entrou pra história
Esse dia entrou pra história

Apesar de todo esse fenômeno começar a ganhar corpo há uns 2 ou 3 anos, parece que em 2016 foi a hora certa para essa revolução da internet começar de verdade. Já reparou ? O número de livros publicados pelos “Digital Influencers” simplesmente triplicou, e não só a publicação em massa foi algo fenomenal, mas também as vendas.

PELO MENOS 3, ENTRE OS 10 LIVROS MAIS VENDIDOS NO BRASIL, FORAM ESCRITOS POR ESTRELAS DO YOUTUBE.

Por muito tempo se falou de uma possível substituição da boa e velha TV pelo veículo gratuito de conteúdo online, mas o que se vê atualmente é uma intercalação entre os dois. O youtube deixou de ser um passatempo, uma brincadeira onde se postavam vídeos despretensiosos com os amigos. Hoje você pode fazer isso em outros redes sociais. O youtube se tornou uma coisa séria, um emprego pra muita gente.

E isso aconteceu por que as pessoas decidiram encarar isso de maneira diferente, simplesmente por que o espectador pode escolher o que gosta ou não, ver o que quiser e apoiar esse conteúdo. Você não pode dar sua opinião ao assistir um programa de televisão, você só discorda e guarda pra você. Na internet é diferente, e por isso pessoas como o Whindersson Nunes conseguem milhões e milhões de seguidores, apenas fazendo o que gostam e influenciando as pessoas a gostaram disso.

GRAVANDO VÍDEOS SEM CAMISA EM SEU QUARTO TODO BAGUNÇADO, WHINDERSSON CONSEGUIU 13 MILHÕES DE INSCRITOS EM SEU CANAL.

Essa intercalação de meios de comunicação possibilitou que a fama de pessoas como o Whindersson se tornasse algo preocupante. Imagina concorrer com 13 milhões de seguidores fiéis ? Impossível. E como diz o ditado, se não consegue vencê-los, junte-se a eles. Bem, e assim, Whindersson e outros Youtubers partiram para o cinema, da maneira mais natural possível.

Mesmo sendo pequenas pontos em filmes pequenos, ou dublagens de personagens secundários, eles conseguiram, chegaram até os meios de comunicação mais rentáveis e bastante antigos produzindo para uma plataforma deveras atual.

Foi desse jeito que a dupla americana do canal de humor Smosh conseguiu seu próprio filme no ano passado, que já está disponível no Netflix. Uma revolução e tanto, não concorda ?

smosh

Obviamente não demoraria muito para o Brasil entrar nessa. Afinal, somos um dos maiores consumidores de conteúdo online no mundo todo. E assim como o Smosh, quem deu o ponta pé inicial para essa revolução em terras brasileiras foi uma das youtubers mais famosas e que está há um bom tempo na plataforma.

6 anos no youtube, nove milhões de inscritos, dois livros publicados, e uma influência sem fim nos jovens. Você sabe de quem eu estou falando.

e-fada-21setembro2016

Kéfera já era atriz de teatro, e em 2014 dublou Big Hero 6, filme da Marvel e Disney. E a dublagem não perde em nada para a dos profissionais especializados da área. Claro que essa é uma maneira de atrair mais público para um filme nem tão badalado, dizendo “olha, vem ver esse filme aqui que você nem ouviu falar, vai ter aquela youtuber que você gosta”. Apesar da dublagem ser boa, o principal objetivo foi esse, assim como a dublagem (nem tão boa assim) de Whindersson no novo Era do Gelo : Big Bang.

Por mais que o filme seja uma grande jogada de empresas e executivos visando o lucro (não vamos se aprofundar nisso, por favor), ele funcionou para o seu público alvo que já quer mais. Então, você que tem 30 anos, por favor, não reclame do filme, porque ele não foi feito pra você, assim como Os Jovens Titãs em Ação ou Dora a Aventureira : você não é o público alvo, mas suas filhas sim. 

O sucesso do filme foi imenso, isso é inegável, e como tudo que faz sucesso, outros produtos do mesmo gênero virão sim, com total certeza. Se dá dinheiro, por que não fazer ? Correto ?

Os Youtubers são como Os Rebeldes ou o Restart eram há uns anos atrás. Eles vã

Um concorrente à altura dos álbuns de futebol
Um concorrente à altura dos álbuns de futebol

o parar multidões em todos os lugares que forem, terão todo tipo de produto imaginável, de camisetas personalizadas à álbuns de figurinha; e depois tudo isso passará, toda essa moda irá embora alguma hora, assim como Os Rebeldes e o Restart. Mas, enquanto essa hora de se despedir não chega, o normal é a febre ser explorada ao máximo. Ano que vem, por exemplo, teremos um filme com um nome super pretensioso e criativo que se chama Internet – O Filme, com toda essa turma mais popular do Youtuber Brasil, e ainda o Mr. Catra.

Recentemente houve também a DSX, um evento TOTALMENTE voltado para os youtubers. Pelo menos agora eles não disfarçam mais, como sempre foi, tornando eventos de animes e games em apresentações lotados desses novos ídolos. Conseguem perceber o tamanho dessa febre ?

14542578-615900491913310-8950085413430697635-o_hb4h

E pra dar continuidade à Era de Ouro dos Youtubers, o Christian Figueiredo, do canal “Eu Fico Loko”, outro veterano, também lançará seu filme, e teve seu primeiro trailer divulgado esse mês. E olha, é como sempre dizem, a perfeição vem com a prática. E o filme do Figueiredo parece ser bom. Muito bom. Desde a qualidade da fotografia, ao nível dos atores (julgando pelos poucos minutos vistos até agora) e o tamanho do drama. Já deu pra sentir como será esse filme, e é uma sensação boa.

A Kéfera deu o incentivo pro começo desses filmes, e agora é hora de aprimorar eles. O filme do Eu Fico Loko vai ser uma mistura de drama, comédia e romance, e isso não é ótimo ? Se na parte dos livros, as editoras se aproveitam das vendas imensas de livros de youtubers para bancar tradução e a publicação de livros estrangeiros no país, sem dúvidas isso acontecerá com os filmes.

Como citado no início do ano, sobre o filme de Os Dez Mandamentos, esses podem não ser os filmes que merecemos, mas sim os que precisamos para o cinema nacional despontar de vez e nós possamos nos tornar numa indústria imensa desse mercado. Público já tem, e a verba tá vindo.

O ponto é que esses filmes irão existir a rodo daqui pra frente. Os youtubers são os novos ídolos desse geração atual, e tudo que se relaciona a eles vai dar o que falar, sempre. São novos tempos. Filmes bons podem vir aí, assim como filmes péssimos também, mas isso acontece em qualquer gênero cinematográfico, então, não há motivo para reclamar ou se desesperar. Deixa essa turma curtir o momento deles, pô.  🙂